Os Negros no Brasil

Author: Dr. Hannibal /

Nesse último mês iniciei um curso sobre o ensino de História da África. O 1º dia foi estranho, o lugar era longe que não chegava nunca, de noite, andando sozinho numa região desconhecida, mas lá fui eu, mochila nas costas e sebo nas canelas, visto que não tinha dinheiro para pagar o taxe. Lá chegando, a casa não parecia nada de mais, de noite tudo é meio igual, mas ao entrar, percebi que algo de errado não estava certo no reino do Sr. Tupeti. Santos e divindades espalhadas por todos os lados, a casa de eucalipto sem colunas internas, linda, mas estranha. Era um Terreiro de Candomblé. Aquele mesmo que quando criança, na igreja, aprendi a acreditar que era a casa do Diabo. Nada disso. O lugar é incrível, uma energia ótima e um povo receptivo pra caramba!

De cara o Zelador (Pai de santo) fez uma reza, chamando o poder de Exu, para trazer Axé (Boas energias) para todos nós. Em seguida uma palestra fascinante com um especialista em cultura afro-brasileira que suscitou algumas questões que nós esquecemos, ou fazemos que esquecemos, como por exemplo, as Pirâmides do Egito. Aqueles que a construíram eram negros, e o Egito fica na África. Incrível, parece obvio, mas não é. Os livros de história nos fazem esquecer desses dois detalhes gritantes. O Egito, parece europeu, mas não é!

Hoje, outra aula maravilhosa. Mais um especialista, dessa vez a tônica era o corpo e a forma com que ele fala. Entender um pouquinho da capoeira e das danças, o que elas significam, o que elas guardam de tradição.

De quebra, uma nova informação. Enquanto Gênova e Veneza estão nascendo na Europa, milhares de pessoas morrendo porque defecavam nas ruas, três Impérios Negros africanos, já haviam criado um Sistema de esgotos e de distribuição de água e o continente era a principal rota comercial e econômica do planeta. Não há nenhum registro de mortes por grandes pestes ligadas a higiene em todo o continente africano. Tudo bem... Tudo bem... Isso não significa que a Civilização negra africana seja mais desenvolvida que a européia, ainda tem aquela questão da cor que coloca os brancos na frente... Aí a explicação cientifica... Para se ter melanina é preciso Vitamina D e na Europa não tem sol, branquelo só é branquelo porque a pele branca assimila melhor a pouca luz, só assim o esqueleto aguenta, em compensação, põe um desbotado no sol da Região do Lago Vitória, onde nós surgimos, cientificamente comprovado, eles cozinham.

Cada dia que passa, admiro ainda mais a cultura negra e o que ela representa na história do Brasil.

Lembrem-se, os negros não foram escravos, foram escravizados!

2 comentários:

Maria Luiza disse...

Oi, seu "Tupetudo". Realmente, o curso sobre "História e Cultura Africana e Afro-Brasileira" Foi uma ótima iniciativa para esclarecer de vez ao grande público (Inclusive os professores do ensino fundamental e médio, que deveriam não posssuir nenhuma visão preconceituosa por deterem o "conhecimento científico",mas que ainda estão presos a superstições e as falhas de compreensão do senso comum). Nossa cultura e religiosidade é totalmente influenciada pela cultura africana, e ainda assim negamos nossa bela origem. Muitos preferem ser descendentes de colonos europeus rudes e sem estudo, que vieram para cá porque estavam morrendo de fome nas "Alemanhas da vida", e vieram para o nosso pais por ficaram sem opção do que ser descendentes de reis, rainhas, príncipes, princesas e guerreiros que foram escravizados (e não escravos)e tratados (injustamente)como mercadoria, forçados a vir para um lugar que não queriam!!! É claro que não estou dizendo aqui que uma cultura é melhor que a outra, e sim devemos aproveitar o que há de melhor em cada uma. Tirar de vez da cabeça que negro é vagabundo, português é burro, índio é selvagem, argentino é filho da mãe...Entre outras asneiras que nossa cultura (pseudo)acolhedora insiste em ver como algo distante da nossa realidade. Uma boa semana para todos.

Francisco disse...

Perfeito, super importante conhecer e ensinar a História da Àfrica nas escolas brasileiras, afinal e´uma das etnias formadoras do povo brasileiro. Agora surge um problema que vejo como um fator agravante, na hora dos professores de História passarem esses conhecimentos p/ seus alunos. Os alunos de famílias evangélicas, tem uma opinião radical e conservadora acerca de religiões afros; vai haver um choque de ideias, os evangélicos tem um baita preconceito em relação a cultura Afro. E o professor não poderá fugir do tema dos Santos e Orixás. è apenas uma reflexão que eu gostaria de deixar p/ vc
Grato
Francisco

Postar um comentário